Você tem dúvidas sobre dor na lombar? Então, vamos explicar!

De acordo com o artigo publicado no último dia 21 de março, que reúne as principais evidências e guidelines sobre dor na lombar (EUA, Dinamarca, Reino Unido). Entre suas conclusões estão:

Os exames laboratoriais e de imagem não devem ser realizados rotineiramente, pois levam a exposição excessiva de radiação, desencadeiam cuidados médicos desnecessários e aumenta o risco de resultados adversos.

  •  Tratamento farmacológico deve ser reservado apenas para pacientes que o tratamento convencional não funcionou, pois ele leva a vários riscos, como: dependência, toxicidade hepática, cardiorrenal e gastrointestinal.
  •  US, TENS, Ondas Curtas, uso de Cintas e etc. não são recomendados.
  •  Injeções e cirurgias não são recomendas, pois não trazem benefícios superiores ao tratamento multidisciplinar, porém apresentam maiores riscos. Devem ser reservadas apenas a pacientes com déficits neurológicos graves ou progressivos (ex: perda de força).
  •  Recomendam o uso de exercício, manipulação da coluna vertebral, acupuntura, massagem, entre outros.
  •  É essencial para o tratamento o aconselhamento educacional, permanecer ativo e evitar o repouso no leito, e continuar as atividades habituais, incluindo o trabalho.

A ciência é dinâmica! Procurar um profissional atualizado é essencial para obter bons resultados!

Referência: http://www.thelancet.com/journals/lancet/article/PIIS0140-6736(18)30489-6/fulltext